Diversão

Socialite que atacou filha de Gagliasso já foi presa por prostituição nos EUA, diz site

Reprodução / Twitter

Ainda são poucas as informações sobre quem é a mulher que fez ofensas racistas a Titi, de 4 anos, filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Mas na noite dessa segunda-feira (27), a Delegacia de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI) informou que a suspeita foi identifica.

De acordo com o site Diário do Centro do Mundo (DCM), Dayane Alcantara Couto De Andrade já foi presa em setembro de 2015, nos Estados Unidos. Uma ficha policial divulgada pelo site Regional Inquirer, revela que a brasileira foi considerada "mantenedora ou frequentadora de prostíbulo", práticas proibidas no estado norte-americano.

Na internet, a brasileira se apresenta como Day McCarthy e vinha usando as redes sociais para disseminar comentários preconceituosos e criar polêmicas entre várias celebridades.

Seu perfil no Instagram foi retirado do ar nessa segunda-feira (27), mesmo dia em que o ator Bruno Gagliasso prestou queixa na delegacia e a investigação ficou a cargo da DRCI, no Rio de Janeiro.  

No último final de semana, Day McCarthy compartilhou um vídeo comparando a menina de 4 anos a uma "macaca". Por isso, ela deve responder a três crimes: injúria racial, difamação e injúria.  

Fãs da cantora Anitta, que também foi alvo dos ataques da 'socialite', compartilharam uma imagem sobre outra suposta prisão de Dayane Alcantara em Miami Beach por prostituição quando ela tinha 22 anos. Hoje, Dayane Alcantara Couto De Andrade está com 28 anos.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
ANUNCIE AQUI